Administrar nosso dinheiro não é uma tarefa fácil, principalmente quando gastamos sem controle algum. Então, chegam os inúmeros boletos, contas e faturas e nos perguntamos “como gastei tudo isso?”. Essa situação pode ser revertida através da inteligência financeira, que está ligada diretamente ao seu comportamento e emoções.

Inteligência financeira é quando você utiliza corretamente o dinheiro que entra e sai da sua conta bancária, tendo autodisciplina e clareza de objetivos. Assim, você sabe e consegue ter domínio sobre seus ganhos, gastos e dinheiro. Afinal, não é ele quem dita as regras da sua vida.

Para provar que qualquer mulher pode desenvolver inteligência financeira, a Master Coach e especialista em Gestão Financeira Comportamental Thina Alvarez listou cinco dicas que ajudam a conquistar esse objetivo.

1) Acompanhe as suas receitas e despesas

Gastar menos do que ganha pode ser um desafio. São aquelas contas que nunca fecham provocando dores de cabeça e insônia. A cada mês que passa, em vez de ficar mais rico, você estará ficando mais pobre e produzindo a riqueza de outros, ou seja, tudo que você produz com o suor do seu trabalho vai para o bolso de outro. Por isso, seja inteligente e permaneça com o dinheiro que você produziu.

O primeiro passo para começar a economizar é descobrir quanto do salário é comprometido com gastos que podem ser evitados. Não esqueça de anotar todas as suas receitas e despesas, até mesmo aquela que você compra com dinheiro quando está na rua. Você irá se surpreender como os pequenos valores podem influenciar no seu resultado final. Ao final do mês, avalie a planilha e não repita os débitos desnecessários.

2) Pague-se primeiro

Guarde e invista pelo menos 10% de sua renda ao longo de sua vida. Todo mundo conhece aquele papo de que quem consegue guardar pelo menos cem reais por mês em um investimento conservador terá mais de um milhão na época da aposentadoria.

3) Controle seus impulsos

É claro que ninguém deve viver sem os pequenos prazeres da vida. Entretanto, toda vez que você fizer uma compra, reflita se, efetivamente, necessita daquela mercadoria ou serviço. Uma forma de evitar que você compre mais do que precisa é elaborar uma lista de compras. Toda vez que você precisa comprar algo anote isso numa lista. Isso evita que você fique tentando lembrar do que precisa e também ajuda a controlar seus impulsos consumistas. A regra da lista é clara: só compre o que estiver escrito nela. O que não está ali não deve ser comprado.

Outra dica: faça a lista e tome decisões apenas em casa. Os shoppings e lojas são cheios de armadilhas para estimular o seu consumo. É a mesma coisa que ir ao supermercado com fome, vendo toda aquela comida por todo lado!

Evite comprar o que você não precisa, com o dinheiro que você não tem, para impressionar pessoas que você não conhece, a fim de tentar ser uma pessoa que você não é. Você deve viver de acordo com o seu padrão de vida. Caso contrário, pode passar apuros. Lembre-se que os juros compostos a seu favor são excelentes e contra são extremamente PREJUDICIAIS! Por isso, evite se endividar a qualquer custo!

4) Invista

Investir a diferença, de maneira inteligente, a partir do momento em que equilibrar suas contas e começar a sobrar dinheiro, poderá criar uma verdadeira fortuna. Reinvestir a diferença é um dos segredos que irá lhe proporcionar a almejada liberdade financeira, ou seja, ao invés de gastar o resultado de seu investimento, reinvista-o apoiado ao “milagre” dos juros compostos que ajudarão a acumular uma nova soma em dinheiro.

Você precisa criar metas para alcançar seus objetivos. As metas são muito importantes porque você consegue transformar em números os seus resultados e consegue verificar se tudo está indo conforme o planejado ou não. Você deve fazer um planejamento, segui-lo e verificar periodicamente como ele está indo. É simples, mas não é fácil, o difícil é só botar em prática.

5) Use o cartão de crédito apenas quando for favorável

Saiba utilizar os benefícios do cartão e não o crédito do cartão. Utilizando os benefícios do cartão você fará uma montanha de dinheiro: economizando em produtos de consumo de acordo com o seu habito de consumo e cartão. Por exemplo, posto de gasolina, cinema, supermercado, revistas, viagens, etc. Resgatando milhas para viagens ou para vendê-las. Usando os benefícios do seu cartão de crédito e não o seu crédito. Essa prática de fazer pagamentos a prazo ou pagando parte da fatura é um suicídio financeiro.